Até ao final do ano, a capacidade de transporte de carga da Linha de Sena, em Moçambique, passará dos actuais três milhões de toneladas para 12 milhões de toneladas/ano.

Já em Julho/Agosto, a capacidade daquela linha férrea deverá duplicar para os seis milhões de toneladas, com a conclusão dos trabalhos de reabilitação do troço Beira-Dondo, adiantou o vice-ministro das Pescas moçambicano, citado pelo “Notícias” de Maputo.

Ainda este mês, o governo moçambicano lançará um novo concurso para a melhoria da linha, para aumentar a sua capacidade até aos 12 milhões de toneladas. Os trabalhos deverão ficar concluídos cerca do final do ano, acrescentou Gabriel Muthisse. O montante previsto do investimento não foi avançado.

Para além da Linha de Sena, também estão em curso investimentos na linha de Machipanda, que serve o hinterland do Zimbabwe. A reabilitação em curso deve permitir, numa primeira fase, transportar três milhões de toneladas, devendo atingir seis milhões de toneladas no final da reabilitação. Mas o governo moçambicano está a avaliar a possibilidade de elevar aquele patamar até aos 20-25 milhões de toneladas no médio/longo prazo, acrescenta o “Notícias”.

Para garantir o escoamento das matérias-primas locais para os mercados de exportação, para reforçar o mercado interno e também para capitalizar as necessidades de transporte dos países vizinhos, o governo de Moçambique definiu vários eixos prioritários de infra-estruturas de transporte, onde tem em curso, ou projectados investimentos. São os casos dos corredores de desenvolvimento da Beira, de Maputo, de Nacala, de Nampula, da Zambézia, de Sena, entre outros.

Comments are closed.