Era para acontecer apenas no início do próximo ano, mas a Infraestruturas de Portugal (IP) contratualizou já hoje a electrificação da Linha do Minho entre Nine e Viana do Castelo. Para mais tarde, mas mais cedo do que o inicialmente previsto, fica o do percurso até à fronteira.

CP Alfa na Estação de Guimarães

A intervenção hoje contratualizada representa um investimento de cerca de 16 milhões de euros e abrange 44 quilómetros. Deverá estar operacional em meados de 2018.
A obra, no âmbito do projecto de modernização da Linha do Minho, “contempla igualmente a instalação  de catenária ao longo do troço, a construção de estações técnicas em Midões e Barroselas para permitir o cruzamento de comboios de 750 metros, a alteração de layout das estações de Barcelos, Barroselas, Darque e Viana do Castelo, o rebaixamento da via sob algumas passagens superiores existentes, trabalhos de estabilização de taludes e a impermeabilização dos túneis de S. Miguel da Carreira, Tamel e Santa Lucrécia”, refere a IP em comunicado..
“Ao longo do troço a intervencionar será realizado o alteamento e prolongamento de plataformas de acesso nas estações e apeadeiros, com vista à adequação e melhoria das condições de exploração e de prestação do serviço ferroviário”, acrescenta.
Também hoje, na estação de Viana do Castelo e na presença do ministro do Planeamento e Infraestruturas, foram assinados os autos de início dos trabalhos para as empreitadas de concepção/construção da Subestação de Tracção de Vila Fria (Viana do Castelo), com um valor de 3,7 milhões de euros, e de concepção, construção e manutenção do Sistema de Sinalização do troço Nine/ Valença, no valor de 8,8 milhões de euros.
No próximo ano deverá arrancar a modernização dos 48 quilómetros de via entre Viana do Castelo e Valença.
No total, prevê-se um investimento de 83,9 milhões de euros (59,2 milhões de fundos comunitários), que tornará possível realizar 20 comboios de 750 metros diários, contra os 15 de 200 metros actuais.
Nessa altura, algures em 2019, nada impedirá os Alfa pendulares da CP de chegarem à fronteira. Entrarem em Espanha é que será mais difícil, porque do lado de lá do rio continuam a faltar alguns quilómetros de via electrificada.

This article has 2 comments

  1. Se for realizado será uma grande obra para quem tem que se dirigir para o Porto ou mesmo para Braga . al mesmo tempo penso que as pessoas terão mais beneficio em viajar de comboio e deixar os carros juntos as estações .

  2. Esta obra será bom para todos aqueles que por vezes tem que se deslocar de carro para o Porto Valença . Já que o tempo de viaja compensa pela economia de gasolina despesas de carros e por vezes filas de transito . Penso que será bem vindo