Mais navios, mais escalas e um decréscimo marginal de passageiros. Assim se pode resumir 2017 nos cruzeiros em Lisboa. 2018 será, tudo o indica, o primeiro ano de uma nova era.

No ano findo, o porto da capital recebeu 123 navios, mais seis do que em 2016 e mais três do que em 2013, o melhor registo de sempre neste domínio.

As escalas também cresceram. Contaram-se 330, mais 6% que em 2016, sendo que as escalas de turnaround (em que os passageiros iniciam e/ou terminam a viagem) aumentaram 12%.

Apesar destes aumentos, o número de passageiros cedeu 0,3% face a 2016, para 521 042, o que a administração portuária justifica com a “redução da capacidade dos navios que realizaram operações de trânsito”.

Para além dos números, mas por certo causa e consequência deles, 2017 ficou marcado pela inauguração do terminal de cruzeiros de Lisboa e pela eleição, pelo segundo ano consecutivo, do Porto de Lisboa como melhor melhor porto de cruzeiros da Europa pelo World Travel Awards.

Para 2018, Lídia Sequeira, presidente da APL, fala “no início de uma nova era para o turismo de cruzeiros em Lisboa, com perspectivas de grande crescimento”. Por causa do novo terminal, mas também porque a capital acolherá em Setembro a 12.ª edição da Seatrade Cruise Med, uma das maiores feiras de cruzeiros do mundo, e isso poderá multiplicar a actividade (foi assim em Marselha, lembra a APL, onde o número de passageiros aumentou 63% depois de ter organizado a feira em 2012).

 

This article has 1 comment

  1. Não param as más notícias para a MINISTRA DO MAR, não renegociou as 3 concessões dos terminais de contentores, diminuiu o número de passageiros em Lisboa, SERÁ QUE NÃO VAI PARAR DE METER ÁGUA ESTA SENHORA QUE TUDO PROMETE E POUCO OU NADA FAZ DE MUITO IMPORTANTE ? Ainda se dá “ao luxo” de perder tempo com o “falso” terminal do Barreiro quando o futuro já existe e está no enorme potencial do porto de Setúbal para onde já devia ter negociado a saída dos contentores de Alcantara para lá aproveitando o facto de que as concessões serem do mesmo dono, que vergonha !!