O porto de Lisboa foi palco do primeiro abastecimento de combustível com 0,5% de enxofre a um navio nos portos nacionais.

O M/V Antonia escalou o porto de Lisboa para reabastecimento, tendo sido o primeiro a receber o combustível que cumpre com os novos limites de enxofre impostos pela IMO a partir de 1 de Janeiro.

A operação de bancas foi realizada no fundeadouro do quadro central, situado na zona entre Alcântara e Belém, a partir da Estação de Assistência Naval do Porto de Lisboa (EANPL). A Galp foi a responsável pelo fornecimento.

Em comunicado emitido a propósito, a Administração do Porto de Lisboa destaca “a resposta rápida e eficiente, da parte da Galp e da EANPL, para disponibilização do VLSFO [Very-low Sulphur Fuel Oil] aos seus clientes, tornando-os pioneiros a nível nacional e em antecipação à imposição da IMO.

A partir de 1 de Janeiro, todos os navios em operação terão de reduzir as suas emissões para um máximo de 0,5%, seja através da utilização do novo combustível, seja mediante a instalação de filtros (scrubbers).

Na área do porto de Lisboa, note-se, o combustível utilizado pelos navios já é cinco vezes menos poluente, ou seja, tem no máximo 0,1% de teor de enxofre, de acordo com a Directiva europeia de 2015 sobre as emissões de enxofre nos portos europeus.

Comments are closed.