As avenidas Marginal e Brasília, em Lisboa, serão palco de testes de condução autónoma, no âmbito do projecto europeu I+D+i AUTOCITS, anunciou a Indra, que lidera o consórcio promotor.

03_VehiculoAutonomо_envio

Além de Lisboa, serão realizados também testes nas áreas metropolitanas de Madrid e Paris, ou seja, nas três principais urbes do Corredor Atlântico.

Além da Indra, integram o consórcio I+D+i AUTOCITS a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Universidade de Coimbra (UC) e o Instituto Pedro Nunes (IPN), por Portugal, a Dirección General de Tráfico (DGT), a Universidade Politécnica de Madrid (UPM), or Espanha, e a francesa Inventeurs du Monde Numérique (INRIA).

O projecto tem um orçamento de 2,6 milhões de euros e co-financiamento comunitário através do mecanismo CEF.

“O AUTOCITS tem como objetivo facilitar a circulação dos veículos autónomos em núcleos urbanos através do desenvolvimento de sistemas inteligentes de transporte baseados em Connected and automated driving (C-ITS), que permite a comunicação e o intercâmbio seguro de dados entre veículos, utilizadores e infraestruturas, utilizando o standard de comunicações europeu ITS-G5.

“O projecto contempla os vínculos entre esta conetividade e a automatização, centrando-se especialmente na segurança rodoviária e nas alterações necessárias na infraestrutura e nos centros de controlo de tráfego, num sentido físico e digital. Trata-se de conciliar a função de gestão do tráfego que se leva a cabo a partir destes centros com a presença dos veículos sem condutor, tendo em conta que a informação que proporcionam as autoridades de tráfego através dos sistemas inteligentes C-ITS tem uma importância crescente nos níveis mais altos de automatização para desencadear acções tanto em veículos convencionais como automatizados.

“Os três pilotos que se vão desenhar, desenvolver e lançar em Lisboa, Madrid e Paris ao longo de 2017 e 2018 vão permitir testar esta relação entre carros autónomos, convencionais e centros de controlo e a elaboração de recomendações a partir da análise dos resultados. O objetivo é avançar no âmbito regulamentar e nas regras de trânsito para melhorar a interoperabilidade dos carros autónomos, garantir a sua correta circulação em todo o tipos de estradas nos diferentes países europeus e a sua convivência segura com os restantes veículos. Atualmente não existe um standard a nível europeu e as normas de cada país têm um grau de maturidade diferente, com Espanha e França numa posição avançada”, explica a Indra, em comunicado.

O arranque oficial do projecto será dado já amanhã, dia 23, na sede da Indra, em Madrid.

 

 

Comments are closed.