Em Março, o porto de Lisboa movimentou apenas 446 mil toneladas e viu-se ultrapassado por Setúbal e Aveiro, segundo os dados da AMT.

Em Março, o porto de Lisboa perdeu 564 mil toneladas

Os portos do Continente até aguentaram bem o primeiro embate da Covid-19 e registaram em Março um crescimento homólogo de 3,5% nas cargas movimentadas. Lisboa foi o único porto em perda, que perda: afundou 55,8% e ficou-se pelas 446 mil toneladas. Menos 564 mil do que há um ano.

E assim, o porto da capital, historicamente o maior do País, caiu no ranking mensal para o quinto posto, atrás de Sines e Leixões, e de Setúbal e de Aveiro…

Com (quase) todos os portos a crescer, destacou-se Leixões com uma subida homóloga de 32,6% para 1,98 milhões de toneladas, o melhor Março de sempre. Em máximos esteve também Aveiro (+18,5%), com 540,8 mil toneladas  processadas.

Sines voltou aos ganhos, com uma subida de 5,6%, e acercou-se dos 3,8 milhões de toneladas. E Setúbal não comprometeu, com uma subida marginal de 0,9% e 613 mil toneladas.

Noutra escala, a Figueira da Foz avançou 17,6% e passou as 182 mil toneladas. Em Viana do Castelo contaram-se quase 39 mil toneladas (+72,9%).

O resultado de Março foi positivo, mas deveu-se essencialmente à quase duplicação na movimentação de petróleo bruto, que atingiu os 1,4 milhões de toneladas. (No entretanto, a Petrogal anunciou a interrupção da laboração das refinarias de Leça da Palmeira e de Sines…)

Praticamente todos os demais tipos de mercadorias permaneceram ainda no vermelho em Março.

This article has 1 comment

  1. o porto de Lisboa está a morrer por culpa do desgoverno de António Costa, primeiro Ana Paula Vitorino (PS moderada) agora Pedro Santos que mais parece do BE ou do PCP, óptimo para Setúbal e Leixões, depois do fim do impossível terminal do Barreiro, vamos ver como é que a Yilport concessionária dos 3 vai renegociar seus investimentos enfrentando esta situação, os estivadores da SEAL todos para a rua.