Sadiq Khan, o mayor de Londres, quer erradicar da capital britânica os camiões com fracas condições de visibilidade, que responsabiliza pela sinistralidade envolvendo ciclistas. Os transportadores contestam a medida.

Camiões - Londres

Representando apenas 4% do tráfego rodoviário londrino, os camiões estiveram envolvidos em cinco dos nove acidentes de que resultou a morte de ciclistas em 2015.

Khan diz que é tempo de agir para evitar que “estes perigosos camiões continuem a provocar angústia e tragédia nas ruas de Londres”.

O sistema assentará na classificação dos pesados de mercadorias em função das condições de visibilidade dos motoristas, numa escala de zero (o pior resultado) a cinco. Em 2020, os veículos com classificação de zero serão proibidos de circular na capital britânica. A partir de 2024, só serão autorizados os camiões com classificação de três pontos ou mais.

A medida poderá afectar uns 35 mil pesados de mercadorias.

Como seria de esperar, a associação britânica de transportadores rodoviários já criticou a intenção, lembrando a importância dos camiões para a economia da cidade e recusando a diabolização dos camiões.

A redução dos ângulos mortos dos camiões pode poupar centenas de vidas de peões e ciclistas. Um recente estudo de uma universidade britânica comparou 19 modelos de pesados de mercadorias e concluiu que há camiões com “ângulos mortos” de até 2,7 metros e outros sem nenhum.

Este artigo tem1 comentário

  1. Se desses cinco acidentes uma maioria foi causada devido aos ângulos mortos´, é de esperar que se force uma actualização da frota de camiões. A grande questão é, de quem foi a culpa desses tais cinco acidentes. Terá sido sempre dos motoristas de camiões, ou de facto não se estará a diabolizar o camião porque proteger o ciclista é politicamente correcto?