O Reino Unido pondera taxar as entregas de última milha para combater o congestionamento rodoviário devido ao crescimento do e-commerce.

O comité consultor científico do Departamento de Transportes do Reino Unido (DfT) estuda uma variedade de métodos e tecnologias que possam melhorar a eficácia das entregas de última milha e uma taxa de entrega obrigatória é uma opção. “Uma cobrança obrigatória, semelhante à implementada para desencorajar o uso de sacos plásticos, pode ser aplicada a todas as entregas e devoluções [de e-commerce] para incentivar os consumidores a reconhecerem os verdadeiros custos empresariais, sociais e ambientais e, desse modo, incentivar comportamentos mais sustentáveis”, refere num  documento.

A nota daquele órgão do DfT indica ser necessário consultar o sector e os consumidores, mas argumenta que alguma forma de cobrança fixa poderia levar a uma redução na tendência do consumidor de fazer pedidos em excesso online, especialmente devido às políticas de devolução gratuita.

“A transmissão explícita do custo real da entrega e da devolução ao cliente pode reduzir o excesso de pedidos desnecessários”, salienta o relatório. “No entanto, se isso for feito unilateralmente, é provável que tenha um impacto negativo na competitividade dos negócios”, acrescenta.

Aliás, o documento considera também a viabilidade de uma série de desenvolvimentos tecnológicos que poderão melhorar a eficiência de última milha. Entre esses desenvolvimentos estão drones, bicicletas de carga, veículos eléctricos e impressão 3D.

 

Comments are closed.