A Autoridade Portuária de Londres (PLA, em inglês) propõe-se aumentar o tráfego de mercadorias no Tamisa, dos 50 milhões de toneladas de 2016 (+10% do que em 2015) para 80 milhões de toneladas, no prazo de 20 anos.

Thames Vision

O objectivo faz parte do plano Thames Vision, que começou a ser discutido numa reunião entre a administração portuária, o ministro dos Transportes britânico, John Hayes, e o vice-presidente da Transport for London, Val Shawcross.

“Melhorar as redes de transporte rodoviário, ferroviário e fluvial irá impulsionar significativamente as ligações entre os nossos portos e mercados-chave. Por isso, lançámos um estudo de conectividade portuária para explorar formas de melhorar as nossas ligações de transporte e apoiar o crescimento económicos para os próximos 10 anos”, referiu, a propósito do encontro, John Hayes.

“Já estamos a realizar investimentos em transportes, com 15 mil milhões de libras (17,6 mil milhões de euros) em estradas e mais de 40 mil milhões (47 mil milhões de euros) na rede ferroviária, e reunir-nos com os líderes da indústria é crucial para garantir que as necessidades dos nossos grandes portos sejam atendidas”, acrescentou o ministro.

“O papel da reunião foi dar uma visão de longo prazo das acessibilidades terrestres e fluviais para os fluxo de mercadorias entre os clientes e fabricantes e o porto para exportação”, referiu, por sua vez, o CEO da PLA, Robin Mortimer.

“Esta foi realmente uma boa primeira sessão, onde nos concentrámos no atravessamento do baixo Tamisa, as implicações comerciais de deixar a União Europeia e a estratégia de transportes de mercadorias do Reino Unido”, acrescentou Mortimer.

 

Comments are closed.