O negócio de contentores do grupo AP Moller-Maersk atingiu no ano passado um lucro que é mais de dez vezes o conseguido em 2008, antes da crise que se abateu sobre o sector.

O grupo AP Moller anunciou hoje um resultado recorde, com um lucro consolidado de 5 mil milhões de dólares. Cerca de metade desse montante, 2,6 mil milhões de dólares, foi realizado pela Maersk Line e associadas.

Em 2009, e pela primeira vez na sua longa história, a Maersk apresentou prejuízos. O regresso aos lucros, logo no ano seguinte, dificilmente poderia ter sido melhor. No negócio do transporte de contentores, aquele que mais castigou as contas de 2009, passou-se de uma perda de 2,1 mil milhões de dólares para um ganho de 2,6 mil milhões.

Um resultado histórico que impressiona mesmo quando comparado com os lucros de 2008, que foram então de 205 milhões de dólares.

Em 2010, as receitas da Maersk Line, Safmarine e MCC Transport atingiram os 26 mil milhões de dólares (19,9 mil milhões no ano anterior) e o número de contentores transportados aumentou 5% para os 14,6 milhões de TEU.

A ajudar aos números esteve a subida dos fretes médios (29%, incluindo sobretaxas de combustível). Mas a melhoria dos resultados deveu-se também muito à redução de custos: 4% sem considerar o combustível, sendo que o consumo de “bunker” foi reduzido em mais 10%.

Para 2011, o objectivo da Maersk Line é continuar a crescer e recuperar quota de mercado (a companhia cresceu 5% em 2010, contra os 13% do sector).

Comments are closed.