A Lufthansa Cargo prevê manter este ano resultados operacionais na casa das centenas de milhões de euros, apesar dos riscos o risco de ser impedida, em definitivo, de operar de noite em Frankfurt.

No ano passado, a companhia germânica conseguiu o seu segundo melhor resultado operacional de sempre, com um lucro de 249 milhões de euros, menos 20% que em 2011 (o ano do recorde)

O volume de carga transportado aumentou 5%, em termos homólogos, para os 1,9 milhões de toneladas. As receitas atingiram os 2,9 mil milhões de euros, mas amargem operacional recuou 2,6 pontos percentuais para os 8,5%.

Ao longo do ano transacto, as toneladas-km vendidas cresceram 6,5%, enquanto a oferta de capacidade aumentou 8,6%, do que resultou uma quebra da taxa de ocupação, de 70,9% para 69.5%.

Na conferência de imprensa de apresentação dos resultados, os responsáveis da Lufthansa Cargo realçaram a qualidade da performance obtida e a capacidade de adaptação da companhia às alterações do mercado, nomeadamente com a transferência de capacidade da Ásia para a América do Norte.

A interdição dos voos nocturnos em Frankfurt foi também referida, insistindo a Lufthansa Cargo nos prejuízos de 40 milhões de euros/ano que daí resultam. A questão está a ser agora dirimida no tribunal superior de Leipzig.

Melhorar a qualidade do serviço e optimizar os custos continuam a ser as palavras de ordem para a gestão da operadora germânica. Daí os investimentos feitos, por exemplo, no novo centro de frio em Frankfurt, ou os desinvestimentos em áreas não “core”, como a Traxxon Europe. E também a aposta no programa SCORE, com o qual pretende reduzir a base de custos e ajudar a aumentar os lucros em pelo menos 70 milhões de euros/ano, a partir de 2015.

Já este ano, a Lufthansa Cargo encontrou na chinesa Unitop o parceiro para a reestruturação da JV Jade Cargo.

Comments are closed.