A Lufthansa Cargo continua a reviravolta financeira, após um 2016 terrível e soma já quatro trimestres positivos seguidos.

Lufthansa Cargo

O EBIT (resultados antes de juros e impostos) da Lufthansa Cargo ascendeu a 98 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2017, uma grande melhoria face aos prejuízos de 69 milhões registados no período homólogo do ano passado.

As margens cresceram 10,6% entre Julho e Setembro, em termos homólogos, ajudando aos resultados positivos pelo quarto trimestre consecutivo.

O CEO da Lufthansa Cargo, Peter Gerber, destaca a importância desta recuperação continuada. “Estamos muito felizes por anunciarmos o quarto trimestre positivo consecutivo. A Lufthansa Cargo registou uma recuperação contínua da procura em todas as regiões e continuará a digitalização na indústria”, afirmou o executivo, citado pela assessoria de imprensa.

Os volumes de mercadorias movimentados pela companhia até Setembro atingiram 7,98 milhões toneladas/quilómetro (RTK, na sigla em inglês), o que representa um crescimento homólogo de 8%. O mesmo verificado no terceiro trimestre, com 2,7 milhões RTK.

A nível regional, a Lufthansa Cargo cresceu em todos os mercados fora da Europa (aqui, a RTK caiu apenas 0,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, contra uma queda de quase 5% nas tonelada-km oferecidas). A Ásia-Pacífico continuou a ser o maior mercado do transportador, com um crescimento de 7,2% da RTK, para pouco mais de três milhões. As Américas registaram um aumento de 6,7% para 2,8 milhões de RTK, enquanto Médio Oriente e África registaram subidas de 4,3%.

No entretanto, a companhia germânica vendeu dois cargueiros MD-11 e recolocou outro em serviço.

Para o futuro, a estratégia passa pelo reforço das parcerias com a japonesa ANA e a norte-americana United Airlines.

 

Comments are closed.