A partir do Carregado, a Luís Simões pode agora, com a sua nova Control Tower, seguir em tempo real todas as incidências que possam afectar as cargas, nos seus armazéns como nos seus veículos.

Cerca de um milhão de euros foi o investimento realizado na centralização da gestão de segurança na Control Tower.

Um custo que se paga com a redução das incidências (cerca de 30%) e o aumento na rapidez da resposta (em cerca de 80%, de 36 para sete horas).

“Dotada do software mais avançado do mercado, a Control Tower reúne numa única plataforma de gestão – Milestone – todos os sistemas electrónicos de suporte à segurança da empresa: controlo de acessos biométricos, CCTV de 6 megapixéis, sistemas anti-intrusão, sistemas contra incêndio e controlo de frota por GPS”, refere a operadora, em comunicado.

E assim, 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano, é possível saber, em tempo real, por exemplo, “se uma porta de uma instalação da LS está aberta ou fechada”, ou se acontece “uma paragem não prevista numa viagem”. Com a vantagem extra de que o sistema acciona automaticamente os alarmes necessários.

“A centralização ajudou-nos a uniformizar processos a nível ibérico, gerando sinergias significativas e dando mais segurança e verdadeiro valor acrescentado aos clientes”, realça Gustavo Sánchez, director ibérico de segurança da Luís Simões, citado em comunicado.

Os comentários estão encerrados.