A ideia é desenhar e testar soluções inovadoras de descongestionamento das redes de transportes. O projecto europeu junta 18 parceiros, quatro deles são portugueses.

Luís Simões

O projecto dá pelo nome de Optimum – Research and Innovation Action e foi candidatado por parceiros de oito países ao Horizonte 2020. O investimento é de 5,9 milhões de euros.

O desenvolvimento da pesquisa passa pela implementação de cinco casos-piloto, em quatro países: Portugal, Eslovénia, Áustria e Inglaterra.

No caso português, em causa está a exploração de novas formas de gestão de tráfego, transferindo os fluxos para vias menos congestionadas, nomeadamente usando esquemas dinâmicos de tarifação.

A Uninova assegura a componente tecnológica do tratamento de dados; a TIS garante o planeamento, operacionalização e avaliação; a IEP colabora na definição de requisitos e na implementação; e a Luís Simões testa as soluções em condições reais de planeamento das viagens.

Os testes iniciaram-se em Maio passado e deverão prolongar-se até 2018, centrados na região do Porto e em alguns fluxos de saída para Espanha.

Citado no comunicado emitido a propósito, Pedro Ventura, director do Departamento de Processos e Compliance da Luís Simões, destaca que “o projeto português foi acolhido de forma muito positiva e estamos muito satisfeitos por estar implicados na operacionalização de um estudo com esta dimensão e importância para a competitividade nacional e europeia”.

 

Comments are closed.