O Karin Schepers fará amanhã, em Lisboa, a primeira escala do NFX North France Express, da MacAndrews. Materializa-se assim, finalmente, um projecto de anos, de criação de uma “AEM” entre Lisboa (e também Leixões) e Dunquerque.

O novo serviço semanal, que o TRANSPORTES & NEGÓCIOS anunciou em “primeira mão”, será assegurado por dois navios – o Karin Schepeers e o Canopus J – com uma capacidade próxima dos 1 000 TEU. As escalas acontecerão a dia fixo, às quartas-feiras em Lisboa e às quintas em Leixões.

O transit-time para Dunquerque, próximo da fronteira franco-belga, será de dois/três dias, quer à exportação, quer à importação, o que é considerado “imbatível” pela operadora.

A ligação entre os portos nacionais e Dunquerque chegou a ser “anunciada” (e logo desmentida) há precisamente um ano, mas as suas origens remontam bem mais atrás, a contactos mantidos entre o Porto de Lisboa e o Porto de Dunquerque, sobre a viabilidade da criação de uma AEM.

O projecto, que desde sempre envolveu a MacAndrews, teve muitas versões e a sua  concretização acabou por demorar mais do que o pretendido, também muito por causa das sucessivas greves que praticamente paralisaram o porto da capital meses a fio, no ano passado.

Amanhã, o NFX North France Express arranca, com a rotação completa a ser a seguinte: Lisboa, Leixões, Dunquerque, Londres – Thamesport, Roterdão e regresso a Lisboa.

Com este passam a ser três os serviços e seis as escalas que a MacAndrews disponibiliza ao mercado nacional. Às sextas (Lisboa) e sábados (Leixões) acontecem as saídas para Liverpool e Dublin; às segundas e terças são as partidas para Londres – Thamesport e Roterdão; e às quartas e quintas acontece o novo NFX.

A oferta privilegia o transporte porta-a-porta, com recurso aos contentores “high cube pallet-wide” de 40 e 45 pés.

Comments are closed.