O governo espanhol decidiu vender a maioria do capital da AENA mas ao mesmo tempo quer criar um núcleo duro de accionistas nacionais. A privatização deverá acontecer na próxima Primavera.

De acordo com as últimas notícias do país vizinho, o governo de Rajoy pretenderá vender entre 51% e 60% do capital da gestora dos aeroportos. E com isso encaixar cerca de sete mil milhões de euros.

Cerca de 30% do capital será vendido a investidores institucionais, mediante convite à apresentação de propostas. O objectivo é criar um núcleo de entre três e cinco accionistas de referência, cada um com posições entre os 5% e os 10%, que confiram estabilidade à estrutura accionista da empresa.

Os restantes 30%, no máximo, serão vendidos em Bolsa, através de uma OPV.

O Conselho Consultivo das Privatizações já deu o seu aval à privatização da AENA, pelo que as operações poderão acontecer na próxima Primavera.

A AENA gere 46 aeroportos e movimenta 194 milhões de passageiros em Espanha e em vários mercados internacionais. A companhia espanhola está avaliada em cerca de 15 mil milhões de euros, sendo que a dívida acumulada ascenda a 12,5 mil milhões de euros.Por cá, a ANA foi vendida a 100% aos franceses da Vinci por cerca de três mil milhões de euros.

Os comentários estão encerrados.