A Maersk Line propõe-se cobrar um novo BAF já a partir de 1 de Janeiro de 2019, para pagar os sobrecustos do combustível com baixo teor de enxofre, exigível a partir de Janeiro de 2020.

Maersk anuncia novo BAF para o combustível com baixo teor de enxofre

O novo BAF (Bunker Adjustement Factor) será independente das tarifas praticadas pelo transporte de contentores e substituirá o actual SBF (Standard Bunker Adjustement Factor) da companhia.

A fórmula de cálculo considerará o preço do novo fuel (calculado numa média dos preços praticados em diferentes portos do mundo) e o factor do tráfego (que considerará o consumo médio em cada rota, em resultado de variáveis como o transit time, a eficiência do consumo, e o balanceamento entre as viagens de “ida” e de “regresso”).

“O novo BAF é um mecanimo simples, justo e previsível que garante transparência aos nossos clientes no momento de planificarem as suas cadeias de abastecimento para esta mudança significativa”, comentou o CCO da AP Moller-Maersk, Vincent Clerc.

A partir de 1 de Janeiro de 2020, por imposição da IMO, os navios terão de reduzir as emissões de enxofre dos actuais 3,5% para 0,5%. A Maersk já disse que irá privilegiar o uso de combustível com baixo teor de enxofre para cumprir com as novas regras.

A número um mundial no transporte marítimo de contentores calcula que o sobrecusto resultante da utilização do novo combustível (mais caro que o actual) atingirá os dois mil milhões de dólares/ano.

» Maersk: baixar emissões de enxofre custará 2 mil milhões de dólares

Tags:

Comments are closed.