A Maersk vai colaborar com o marketplace online indiano Blackbuck na criação de uma plataforma para modernizar o transporte rodoviário de contentores naquele país asiático.

O acordo surge no âmbito dos esforços do governo da Índia para reduzir os custos de logística para 9% do PIB até 2022 (menos 5%). A Blackbuck será a proprietária e operará a plataforma neutra (ainda sem nome), com a Maersk a apoiar o desenvolvimento de soluções que beneficiarão o transporte de contentores.

O objectivo das partes é que a plataforma “reduza os pontos de contacto na cadeia de abastecimento, melhorando a experiência do cliente ao combinar a procura e a oferta ao longo do ano, além de fornecer visibilidade e controlo em tempo real em todo o trânsito”.

O chefe de vendas da Maersk no Sul da Ásia, Arjun Maharaj, indica, em comunicado, que a realidade actual do transporte no mercado indiano é difícil. “Os nossos clientes lidam com fornecedores fragmentados, com diferentes níveis de serviços de comunicação, disparidades geográficas, financeiras e de infra-estrutura, resultando em cadeias de abastecimento aquém do ideal”.

Combate à corrupção

A cadeia de abastecimento da Índia é vista como corrupta e desnecessariamente complexa, funcionando com sistemas desactualizados.

O governo indiano anunciou, nesse âmbito, uma parceria com a Rede Marítima Anti-Corrupção (MACN, na sigla em inglês) para combater a corrupção nos portos. Desse esforço já saiu um projecto-piloto lançado no porto de Bombaim no início do ano e que deve ocorrer até Outubro.

Sediada em Copenhaga, a MACN já lançou programas bem-sucedidos para combater a corrupção nas autoridades portuárias e governamentais na Argentina, Nigéria e Canal de Suez.

Comments are closed.