O arranque das operações da aliança 2M não afectará o “core” das operações da Maersk Line e da MSC em Portugal, garantiram ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS dirigentes das duas companhias.

Maersk Line

 

A aliança 2 M estrear-se-á em Portugal, mais propriamente em Sines, no próximo fim de semana. O Terminal XXI será ponto de escala de três serviços da oferta combinada dos números um e dois mundiais: um de ligação da Ásia à Europa do Norte, outro entre o Mediterrâneo e a costa atlântica da América do Norte, e outro ainda entre o Mediterrâneo e a região do Golfo e das Caraíbas.

Mas aparte isso, as operações dos dois parceiros manter-se-ão no mercado nacional “as usual”. No caso da Maersk Line, Rogério Figueiras, director comercial da companhia para o Norte, garante que “não planeamos qualquer alteração nas escalas, tanto em Lisboa como em Leixões”.

Concretizando: “vamos manter as duas escalas semanais, o serviço de África directo a Luanda e o feeder da Seago para ligação a Algeciras, e ainda o serviço de Cabo Verde/Guiné Bissau”, acrescenta.

Do mesmo modo, a MSC manterá “os mesmos serviços directos e de feeder”, em Sines e Leixões, garante Carlos Vasconcelos, director executivo da MSC Portugal. Estão em causa as ligações com o Norte da Europa (em Leixões) e com as Canárias, a costa Oeste da América do Norte, a costa atlântica do Canadá, a Turquia, a costa Leste da América do Sul, Angola, África do Sul e Extremo Oriente (em Sines).

A excepção será “a escala directa do Lion [Service] Eastbound” que “de momento fica suspensa”, refere, sendo que este serviço é um dos que integra a oferta da 2M.

Tags:

Comments are closed.