A Maersk Line decidiu adiar até um ano a entrega dos nove navios de 14 000 TEU que tem em construção na Coreia do Sul. A companhia tem encomendados 27 navios, entre os quais 11 Triple E de 19 600 TEU.

Maersk

Os nove navios de 14 000 TEU, encomendados aos estaleiros da Hyundai Heavy Industries, deveriam ser entregues todos no ano corrente. Mas agora, todas as entregas serão adiadas pelo menos alguns meses, e concentradas em 2018, com a última unidade a dever entrar ao serviço apenas no final do próximo ano, 12 meses depois do inicialmente previsto.

Com estes adiamentos, a Maersk Line melhorará o seu cash-flow, mas sobretudo poderá gerir melhor a oferta de capacidade em função da evolução do mercado.

A carteira de encomendas de porta-contentores da Maersk Line compreende 27 navios, com uma capacidade total de 367 mil TEU, ou 11% da capacidade actual da companhia (a média do sector será de 16%). Além dos nove navios de 14 000 TEU, estão em construção 11 Triple E de 19 600 TEU e sete navios de 3600 TEU (estes para o mercado intra-europeu). Todos têm entregas previstas para este ano e o próximo.

A Maersk Line fechou o an0 de 2016 com uma frota de 639 navios (entre próprios e fretados), com uma capacidade agregada de 3 239 416 TEU. Um aumento de 9,4% face ao verificado no final de 2015. Em linha com a subida dos volumes transportados (10,4 milhões de TEU), apesar de o mercado ter crescido apenas 2-3%. A companhia tinha imobilizados três navios (num total de 25 mil TEU).

Já no primeiro trimestre de 2017, a Maersk Line prevê enviar para desmantelamento oito navios Panamax (por terem chegado ao fim da sua vida útil), com uma capacidade conjunta de cerca de 33 mil TEU.

 

Os comentários estão encerrados.