A Maersk Line pondera voltar a utilizar o canal do Panamá, agora ampliado, três anos depois de ter suspendido os serviços.

Maersk - Canal do Panamá

O grupo dinamarquês suspendeu as rotas pelo Canal do Panamá, por onde transitava desde 1917, em Abril de 2013, e transferiu-as para o Canal do Suez, que permitia a passagem de navios de maiores dimensões, com capacidade para até 9 000 TEU.

O mais importante dos serviços cancelados há três anos, o Ásia-Costa Oeste dos Estados Unidos poderá ser reatado já a 27 de Junho, o dia seguinte ao da inauguração do novo Canal do Panamá, cujas obras de ampliação estão em fase de conclusão.

A suspensão daquele serviço representou uma redução de cerca de 100 viagens da companhia pelo Canal. Actualmente, os trânsitos estão, segundo o director comercial da Maersk, o colombiano Andrés Osório, reduzidos a “praticamente” um navio diário e não há ainda previsões oficiais de mudanças. Andrés Osório admite, ainda assim, que “está a analisar-se e a ver-se as diferentes possibilidades”.

A América Latina representa 10% da facturação global e 40% da carga refrigerada transportada à escala mundial pela Maersk Line.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.