A Maersk Line não abdica da liderança mundial no transporte marítimo de contentores. A companhia dinamarquesa prevê encomendar novos navios a partir de meados de 2015, num investimento anual de três mil milhões de dólares até 2019.

“Para a nossa dimensão, precisamos de 425 000 TEU entre 2017 e 2019”, resumiu o CEO da Maersk Line perante os analistas, no Dia do Investidor, em que as companhias cotadas anunciam os planos para o seu futuro.

No caso da Maersk Line, o futuro passará por encomendar mais uns 30 Triple-E, de18 000 TEU, uma vez que Soren Skou descarta possibilidade de operar navios maiores. “Especula-se que poderíamos até aos 25 000 TEU… Não vejo que isso vá acontecer”, disse, considerando que os navios de mais de 18 000 TEU são menos flexíveis em termos operacionais.

Há já cerca de dois anos que a Maersk Line não encomenda novos porta-contentores, depois de ter surpreendido o mundo com a compra de 10+10 Triple-E, os maiores navios da actualidade.

O novo programa de encomendas deverá ser anunciado em meados de 2015, de modo a que as primeiras entregas aconteçam em 2017, até 2019. Nesse entretanto, a Maersk Line investirá três mil milhões de dólares/ano.

Há cerca de duas semanas, a Alphaliner calculava que a MSC (parceira da Maersk Line na 2M) poderia chegar a número um mundial cerca do final de 2016, em consequência das encomendas de 50 navios totalizando mais de 600 mil TEU. Na altura, Soren Skou garantiu que a Maersk Line tudo faria para manter a sua posição de liderança. O CEO falava a sério.

Comments are closed.