A Maersk aposta em aumentar significativamente a sua quota de mercado no mercado do short sea europeu, que actualmente serve essencialmente numa lógica de feedering.

Um porta-voz da Maersk Line confirmou à “Containerisation International” que o grupo já criou uma companhia para actuar no mercado intra-europeu, ficalizada em aumentar a quota de mercado da Maersk Line e da Safmarine no atractivo mercado europeu do short sea.

Na prática, adiantou, sem precisar, o mesmo porta-voz, tratar-se-á de replicar no Velho Continente o que a MCC Transport fez na Ásia.

“Estamos ainda numa fase inicial de desenvolvimento, mas esperamos poder anunciar mais detalhes sobre a nova companhia em Novembro”, acrescentou.

Várias notícias na imprensa especializada internacional apontam para que o novo operador inicie a sua actividade no segundo semestre do próximo ano.

Actualmente a Maersk opera serviços feeder entre o Norte da Europa e o Báltico e a Escandinávia, entre Portugal e o Mediterrâneo Ocidental e Algeciras, e entre Gioia Tauro e o Mediterrâneo Oriental e o Mar Negro.

Boa parte da carga transportada nos seus serviços Scanmed e Euromed é já hoje carga intra-europeia. Mas a Maersk aposta em aumentar a sua quota de mercado para cerca dos 15%.

Os comentários estão encerrados.