A AP Moller-Maersk reviu em baixa as previsões de lucro para 2018. O grupo dinamarquês justifica a mudança com as crescentes incertezas no mercado, com impacto nos preços dos fretes marítimos.

Maersk penaliza resultados da AP Moller-Maersk

 

A Maersk prevê agora que o seu EBITDA fique na faixa de 3,5 a 4,2 mil milhões de dólares (três mil a 3,6 mil milhões de euros) e que o resultado líquido seja apenas positivo em 2018.

A anterior previsão de EBITDA situava-o na faixa de quatro a cinco mil milhões de dólares, enquanto era esperado que o resultado líquido superasse os 356 milhões de dólares alcançados em 2017. As previsões para os restantes indicadores nos resultados ficam inalterados.

Entre as incertezas do mercado, a companhia realça os riscos geopolíticos, a subida dos preços do bunker e as tensões comerciais entre países.

“Apresentamos um bom progresso no segundo trimestre em termos de receita, volumes e custo unitário na nossa actividade e os resultados melhoraram de um fraco primeiro trimestre. As tarifas spot foram restauradas após uma queda significativa no segundo trimestre e os volumes estão a crescer em linha com o mercado. No entanto, continuamos a enfrentar preços de bunker muito altos, que não conseguimos compensar totalmente nos preços dos fretes, levando a um ajuste em nossas expectativas para a totalidade 2018”, refere, em comunicado, o CEO da Maersk, Soren Skou.

A receita do grupo foi de 9,5 mil milhões de dólares no segundo trimestre do ano, com um EBITDA de 900 milhões. Para o primeiro semestre do ano, a receita atingiu os 18,8 mil milhões de dólares e o EBITDA 1,6 mil milhões.


GOSTOU desta notícia? Clique aqui e SUBSCREVA a nossa NEWSLETTER.  

 

 

Os comentários estão encerrados.