A decisão da Maersk Line de suspender a aceitação de cargas do Norte da Europa para a Ásia não abrange as cargas com origem em Portugal, garantiu ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS uma fonte da companhia dinamarquesa.

A justificação prende-se com o facto de Portugal se encontrar “no “mundo Maersk”, na região do Mediterrâneo”, com as cargas a serem encaminhadas “sempre por Algeciras”, acrescentou a mesma fonte.

A Maersk Line, e como ela outros operadores, deixou de aceitar cargas do Norte da Europa para a Ásia, com a justificação da falta de capacidade para escoar os envios já contratados e as cargas em depósito.

De acordo com a Maersk, a situação deverá ficar normalizada até ao início de Maio. O que pressupõe, ainda assim, e no limite, um atraso de seis semanas nos envios do Norte da Europa para a Ásia.

No caso português, garantiu a fonte da Maersk, “aceitamos e procuramos carga de Portugal (Leixões e Lisboa) para a Ásia!

Comments are closed.