O Programa de Estabilidade prevê investimentos de mais de 8 600 milhões de euros em transportes e infra-estruturas até 2023, com os portos e a ferrovia a serem os mais beneficiados.

A área com maior investimento previsto é a portuária, que, entre 2018 e 2023,  deverá receber 6 109 milhões de euros, ainda que o Programa de Estabilidade seja pouco detalhado sobre a sua aplicação.

Numa nota de rodapé, o Governo salienta que os montantes correspondem ao valor base do concurso ou ao contrato de execução e que “o investimento da rede de portos comerciais do Continente recorre a financiamento público, através das administrações portuárias, mas não releva para a conta das Administrações Públicas, porque as entidades não se encontram dentro do perímetro orçamental”.

Segue-se a ferrovia, com cerca de 1 370 milhões de euros, entre 2018 e 2023, “já em execução ou com candidatura europeia aprovada”, de acordo com o Programa de Estabilidade.

O documento salienta “o investimento na ligação internacional Sul, num total de 430 milhões de euros”, o desenvolvimento do corredor internacional Norte, com um investimento total de 621 milhões de euros, bem como os projectos do corredor Norte-Sul, avaliados em 321 milhões de euros, “com financiamento aprovado por
fundos europeus, onde se destaca a electrificação da linha do Minho”.

Os transportes públicos urbanos irão ser alvo de um investimento de 597 milhões de euros, entre 2019 e 2023, para “a expansão das linhas dos metropolitanos de Lisboa e do Porto e para o novo sistema de mobilidade do Mondego”, de acordo com o Programa de Estabilidade.

Neste âmbito, em Lisboa irá realizar-se o prolongamento da Linha Amarela, entre o Rato e o Cais Sodré, e a criação de uma linha circular no centro da cidade. No Porto, o plano de expansão passa pela criação de uma nova linha, a Linha Rosa, e a expansão da Linha Amarela, até Vila d’Este (Vila Nova de Gaia).

Nos próximos anos terá ainda lugar um programa de compra de material circulante por parte da CP, dos Metros de Lisboa e do Porto e da Transtejo, “num investimento que ascende a 450 milhões de euros, dos quais 369 milhões de euros serão investidos até 2023”, define o Governo.

Destaca-se “a renovação integral da frota da Transtejo, constituída por 10 navios, a aquisição de 18 novas composições para o Metro do Porto, a aquisição de 14 novas unidades para o Metro de Lisboa e a instalação de novo equipamento nas 70 unidades existentes”, assim como a compra, “para a circulação da CP, de 22 novas automotoras”, detalha o Programa de Estabilidade.

O transporte rodoviário, com um valor alocado de 229 milhões de euros, terá como destaque “o acesso a zonas de desenvolvimento industrial e empresarial”.

O Governo realça ainda “o investimento relevante na reabilitação das pontes 25 de abril e do Guadiana”.

A maioria destes investimentos já estão previstos no âmbito do Programa Nacional de Investimentos 2030.

Comments are closed.