Mais de mil filtros de gases de escape, scrubbers, foram encomendados nos últimos seis meses, avança a DNV GL.

Em 2020 haverá 2500 navios com scrubbers instalados

No presente, há 1 850 navios com scrubbers instalados ou encomendados. A DNV GL prevê que, até 2020, ano em que entram em vigor as novas normas da IMO relativas ao teor de enxofre no transporte marítimo, cerca de 2 500 embarcações tenham scrubbers instalados. Um número será bastante inferior aos 4 000 previstos pela própria IMO.

A DNV GL contabiliza 20 fornecedores de filtros com projectos confirmados. A companhia indica que os três maiores fornecedores – Wartsila, Alfa Laval e Yara Marine – respondem por mais de 50% da quota de mercado.

Os navios de cruzeiros e ro-pax foram, numa primeira fase, aqueles em que os armadores mais decidiram instalar scrubbers, mas nesta última ronda de encomendas, graneleiros, navios-tanque e porta-contentores também marcam presença, segundo a DNV GL.

Filtros abertos são os preferidos

No que se refere ao tipo de filtro de gases de escape, os sistemas de circuito aberto são os mais procurados, de acordo com a companhia classificadora. Representam 72% das encomendas (embora a tecnologia possa mais tarde ser reconvertida para sistema fechado), ao passo que os filtros fechados significam apenas 2%. Os sistemas híbridos são 22% de todas as encomendas.

Os sistemas fechados têm como obstáculo a maior complexidade na instalação e manutenção em comparação com os de circuito aberto.

Os sistemas de circuito aberto têm, porém, um futuro incerto, especialmente tendo em conta que certas autoridades portuárias e países impuseram restrições à descarga de  águas de lastro ou planeiam fazê-lo, sublinha a DNV GL.

 

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.