A MAN Latin America fechou o ano com quotas de 29,7% nos camiões e de 32,2% nos autocarros, no mercado brasileiro.

Em 2011, a empresa vendeu para o mercado local 50 829 pesados de mercadorias e 11 139 chassis de autocarros. Um aumento de 18% face ao exercício anterior, que superou o comportamento geral do mercado, que cresceu 11,7% para os 171,2 mil camiões e os 34 615 autocarros.

Em Dezembro, a MAN Latin America teve mesmo o melhor desempenho de vendas de camiões dos seus 30 anos de existência. A passagem do Euro 3 para o Euro 5, na mudança de ano, levou muitos transportadores a anteciparem as suas compras.

Pelo mesmo motivo, e porque os Euro 5 serão mais caros que os Euro entre 10% e 15%, os responsáveis da marca estimam para o ano corrente uma quebra de até 10% no mercado. Para o compensar, a MAN Latin América aposta também na comercialização dos MAN de +57 toneladas, os super-pesados que começaram a ser produzidos localmente, no final de 2011.

Ao invés, as exportações a partir do Brasil deverão continuar a crescer. No ano passado a MAN Latin America vendeu para o exterior cerca de 9 500 camiões e autocarros. Para este ano a expectativa é de um aumento de 10%.

Para reforçar a presença no mercado brasileiro e da América Latina, a MAN propõe-se investir mil milhões de reais até 2016. Um dos projectos-âncora será o novo centro logístico de vendas, a implantar numa área de 150 hectares, no município de Porto Real, no interior do estado do Rio de Janeiro, próximo da fábrica de Resende.

Comments are closed.