O ano está a correr melhor do que o previsto à MAN, adiantou em Hannover o director financeiro do construtor alemão.

A MAN deverá superar este ano o objectivo “prudente” de uma taxa de rendibilidade de 6%, afirmou aos jornalistas Frank Lutz, à margem do IAA de Hannover.

Lutz acrescentou que as previsões da marca apontam agora para que seja atingido um volume de entregas de entre 115 mil e 120 mil veículos.

O volume de negócios do grupo alemão deverá aproximar-se dos 15 mil milhões de euros realizados em 2008, antes do eclodir da crise, afirmou.

Já o presidente da MAN, Georg Pachta-Reyhofen afirmou, por seu turno, que a parceria com a Scania está a evoluir rapidamente, mas preveniu que alguns dos resultados só serão visíveis dentro de vários anos (o que não será de estranhar considerando a duração dos ciclos de desenvolvimento de novos produtos na indústria dos veículos pesados).

Pachta-Reyhofen rejeitou, outrossim, a ideia de que poderá estar iminente um aumento da posição da Volkswagen no capital da MAN. A VW possui 30% do construtor alemão de pesados desde o início de 2007, e desde então que se especula sobre a possibilidade de aumentar tal posição, mesmo tendo de lançar uma OPA geral sobre as acções da empresa. O presidente da MAN garantiu que actualmente nada deixa prever um tal movimento.

Comments are closed.