A Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM) constituiu uma parceria com o grupo sul-africano Grindrod e a administração ferroviária da África do Sul a fim de aumentar a carga ferroviária para o porto de Maputo, informou o presidente da empresa, citado pelo “Notícias”.

Rosário Mualeia disse ser necessário criar condições para aumentar a carga processada naquela infra-estrutura portuária atendendo a que nos últimos oito anos foram ali realizados investimentos que ascendem a 225 milhões de dólares.

O presidente da CFM disse ainda que em resultado do esforço conjunto foi possível transportar na linha de Ressano Garcia, no primeiro trimestre deste ano, 277 mil toneladas de carvão e de magnetite, contra 200 mil toneladas no mesmo período de 2010.

O porto de Maputo foi concessionado em 2000 à Maputo Port Development Company (MPDC), que iniciou a actividade em 2003. O governo moçambicano aprovou recentemente a extensão do contrato de concessão por um período adicional de 15 anos, contados a partir de 2018, para permitir a concretização do Plano Director de Desenvolvimento do porto, que prevê investimentos de 750 milhões de dólares até 2030.

Comments are closed.