32 projectos, dos 101 candidatados, foram eleitos pelo Marco Polo para receber apoios de 57 milhões de euros, no âmbito da chamada de 2010. O orçamento disponível era de 64 milhões de euros.

Portugal volta a ter um projecto aprovado, com implicações directas nas cadeias logísticas nacionais. O projecto dá pelo nome de WoodRail e foi candidato como acção de transferência modal, da rodovia para a ferrovia. O objectivo é transportar madeira da Galiza para as fábricas de papel e celulose portuguesas.

O projecto foi candidatado pela Takargo, pela Comsa Rail, e pela Ibercargo Rail, a empresa conjunta dos dois operadores ferroviários privados.

O apoio concedido pelo Marco Polo ascende a 1,27 milhões de euros. A transferência modal prevista ascende a 345 milhões de toneladas-km.

A CP Carga, o outro operador ferroviário nacional de transporte de mercadorias, também está envolvida num outro projecto escolhido pelo Marco Polo. No caso, o projecto LIFE, mais uma acção de aprendizagem comum promovida pela Escola Europa de Short Sea Shipping.

À chamada de 2010 do Marco Polo apresentaram-se 101 candidaturas, que solicitaram apoios de 235 milhões de euros.

No final foram escolhidos 32, que receberão 57 milhões dos 64 milhões de euros disponíveis no orçamento. Em contrapartida, deverão ser retirados das estradas, ou pura e simplesmente eliminados, o correspondente a 15 mil milhões de toneladas-km.

Os 32 projectos seleccionados compreendem 26 acções de transferência modal, quatro acções de aprendizagem comum, uma auto-estrada do mar e uma acção de “traffic avoidance”.

A ferrovia volta a dominar, com 19 projectos, enquanto quatro assentam na navegação interior e outros quatro no transporte marítimo.

Entre os projectos que não foram escolhidos contam-se a AEM Atlantica, ainda candidatada pela Acciona, e que deveria ligar Vigo a Nantes, com uma extensão a Algeciras. O projecto foi um dos dois seleccionados no concurso promovido conjuntamente pelos governos de Madrid e de Paris.

Comments are closed.