Foi, finalmente, publicada a Instrução Técnica que faltava para viabilizar a circulação dos mega-camiões nas estradas espanholas.

Megatruck4-1024x639

A autorização de circulação dos conjuntos de mais de seis eixos, 25,25 metros de comprimento e 60 toneladas de peso bruto já havia sido publicada no Boletín Oficial del Estado em Dezembro do ano passado, mas faltava a Direcção-Geral de Tráfego concretizar as condições reais para a circulação dos mega-camiões ou EMS (Euro Modular System).

Para utilizarem os mega-camiões, os transportadores ficam obrigados a solicitar uma Autorização Especial de Circulação (Autorização EMS), válida por um ano, renovável. E estão também obrigados a comunicar por e-mail (está prometida uma aplicação informática), num prazo de sete dias, todas as viagens realizadas, indicando as horas de início e fim do transporte, o itinerário e os quilómetros percorridos.

No que toca às características dos conjuntos, e para além de terem de cumprir com as regras gerais dos veículos de transporte, eles deverão dispor, entre outros, espelhos de ângulo morto, aviso de saída faixa de rodagem, controlo electrónico de estabilidade ou sistema de travagem de emergência. Tractores e semi-reboques deverão ainda ter instalada sinalização luminosa e reflectora para atestar das características e dimensões diferentes dos demais veículos.

Os mega-camiões deverão circular preferencialmente em vias com duas filas de trânsito e separador central (auto-estradas e vias rápidas). A circulação nas estradas convencionais é permitida mas apenas se forem a única alternativa para carga ou descarga – sendo que estas têm de ser feitas em zonas industriais e centros logísticos, ou similares – e caso as condições meteorológicas o permitam. Nestas vias terão de manter ligadas as luzes diurnas.

Em termos de velocidades máximas, os limites são os mesmos que para os restantes veículos articulados, ou seja, 90 km/h nas auto-estradas e vias rápias, 80 km/h em estradas convencionais com bermas com um mínimo de 1,5 metros e 70 km/h nas restantes vias fora das localidades.

No que se refere a ultrapassagens, elas são livres nas vias com separador central, mas nas estradas convencionais os mega-camiões não poderão ultrapassar veículos que circulem a mais de 45 km/h.

Para a elaboração da Instrução Técnica, a DGT realizou testes de estrada com dois tractores Scania, com potências de 520 cv e 450 ccv, em percursos com pendentes de até 8% e declives de 6-7%. Daí resultou também a decisão de impôr maior potência aos veículos que sejam utilizados nos mega-camiões.

 

Os comentários estão encerrados.