As matrículas de pesados de mercadorias de +16 toneladas na União Europeia avançaram 41% nos primeiros dez meses do ano até às 197 078 unidades, divulgou a ACEA.

Em Outubro, o sector cresceu 18%, tendo atingido as 21 552 matrículas. Mas a Alemanha, o maior mercado, regrediu 6% em termos homólogos.

Em Portugal, e de acordo com os dados da ACEA, em Outubro matricularam-se 182 camiões de +16 toneladas, mais seis, ou 3,4%, do que há um ano. Em termos acumulados, o mercado nacional vale 1 863 matrículas neste segmento, mais 50, ou 2,8%, em termos homólogos.

Na Europa, em Outubro, além da Alemanha (com 4 682 veículos registados) apenas a Grécia teve um resultado negativo, com uma quebra de 81%, para apenas 12 matrículas.

Em França, as matrículas avançaram 25% para as 3 600; no Reino Unido subiram 34% para as 3 018; e em Espanha avançaram 22% para as 1 900. Entre os novos estados-membros os crescimentos continuam a ser bem mais expressivos: 46% na Polónia (o maior do grupo, com 1 436 registos), 86% na Eslováquia, 68% na República Checa, 173% na Letónia.

No balanço dos primeiros dez meses deste ano de 2011, a Alemanha já superou as 50 mil matrículas (50 335), a crescer 27%. Em França contam-se 33 286 (mais 49%), no Reino Unido 22 749 (mais 46%), em Espanha 12 668 (mais 26%), na Polónia 12 024 (mais 89%).

A Letónia é o mercado que mais cresce em 2011: 245% e já vale 1 199 veículos (há um ano eram 348). A Grécia é o único em quebra, e logo de 66%, com 220 matrículas apenas.

Comments are closed.