A partir de 2012, a Mercedes-Benz propõe-se montar em Angola 800 camiões e autocarros/ano, anunciou o presidente da AutoStar, representante oficial da marca naquele mercado.

O investimento está estimado em 200 milhões de dólares. A unidade de montagem dos veículos pesados localizar-se-á na zona industrial de Viana, próximo de Luanda, onde a AutoStar dispõe de uma área de 547 mil metros quadrados.

“Angola é o primeiro mercado emergente no continente africano e tem grande atenção na gestão da Mercedes-Benz, com maior destaque para os camiões e transportes públicos. Portanto, reconhecemos que o enorme potencial da marca não é realizado em Angola, e resolvemos esse novo compromisso”, justificou, em declarações à imprensa local, Jörg Nührmann, presidente do conselho de administração da AutoStar. O mesmo reponsável lembrou o esforço de reconstrução e desenvolvimento que Angola está a empreender, o que torna necessários mais camiões, o que se traduz numa oportunidade de negócio.

Recentemente, Angola decidiu proibir a importação de veículos usados com mais de cinco anos, o que deverá ter também efeitos positivos no mercado local de pesados.

Desde Maio passado, quando começou a operar, a AutoStar já facturou 30 milhões de dólares, estando a vender uma média mensal de 30 veículos de variados modelos.

O plano de expansão da actividade prevê a criação da unidade de montagem de pesados mas também a cobertura das 18 províncias angolanas, a começar por Benguela, Malange a Cabinda. Até 2020, o objectivo é tornar a AutoStar a maior representação automóvel em Angola e em África, com uma facturação de cerca de 350 milhões de dólares, anunciam os seus responsáveis.

Os comentários estão encerrados.