A qualidade do transporte marítimo de contentores, medida pela pontualidade das escalas, deteriorou-se pelo segundo trimestre consecutivo entre Janeiro e Março, concluiu a Drewry, depois de uma análise à performance de 2 972 navios.

Em termos gerais, apenas 51% das escalas, em portos de todo o mundo, aconteceram no tempo previsto. No último trimestre de 2010 a percentagem global foi de 55%.

Os serviços do transpacífico foram os mais fiáveis, com uma percentagem de 55% de escalas “on schedule” (64% entre Outubro e Dezembro do ano transacto). No transatlântico a pontualidade foi de 52% (55%) e no Ásia-Europa-Mediterrâneo quedou-se pelos 49% (50%).

A Maersk Line, tradicionalmente a companhia com melhores índices de pontualidade, com uma percentagem de 70,2% no final do ano passado, cedeu a posição à CSAV no primeiro trimestre de 2011 e caiu para terceira no ranking.

A companhia dinamarquesa ficou-se agora pelos 66,4% de pontualidade, enquanto a sul-americana avançou de 45,5% para 69,1%.

No segundo lugar deste índice da Drewry (que congrega os 20 top players mundiais em termos de capacidade) figura agora a APL, apesar de ter baixado de 67,7% para 67,6%.

Além da CSAV, melhoraram a performance relativamente ao último trimestre de 2010 a Hamburg Sud (mais 11%), a MSC (6,6%) e a Evergreen (0,8%). Apenas sete companhias lograram superar a média de 51%.

A UASC (menos 17,2%), a OOCL (menos 13,1%) e a HMM (menos 11,6%) foram as companhias que mais perderam na pontualidade relativamente ao trimestre anterior.

Ainda assim, as piores performances couberam à CSCL (40,1% de navios a tempo e horas), UASC (39,8%) e Hanjin (38,8%).

A Drewry sublinha o paralelismo existente entre a evolução dos preços dos fretes e a pontualidade dos serviços.

Comments are closed.