A futura administração conjunta do Metro de Lisboa e da Carris terá apenas quatro administradores, de acordo com a decisão hoje tomada em Conselho de Ministros.

Tal como o secretário de Estado dos Transportes anunciara há dias, o Governo aprovou hoje o diploma que permite a acumulação de funções dos administradores executivos do Metropolitano de Lisboa e da Carris.

A nova administração comum contará apenas quatro administradores, número que compara com os dez administradores ainda em funções nas duas empresas. Os novos administradores não receberão “qualquer abono adicional em virtude da acumulação de funções”, sublinha o comunicado do Conselho de Ministros.

A nomeação de uma administração comum, sustenta o Executivo, “permitirá o encontro das melhores soluções no âmbito do processo de fusão, conferindo-lhe uma orientação centralizada e gerando os consensos necessários à boa consecução do mesmo”.

O mesmo princípio deverá ser aplicado à Metro do Porto e à STCP.

O Governo anunciou já a intenção de nomear as novas administrações das empresas de transportes públicos de Lisboa e Porto ainda no decurso deste primeiro trimestre.

Comments are closed.