A primeira “metrolineira” de Madrid começou a funcionar na passada sexta-feira. Permite o recarregamento das baterias dos veículos eléctricos com a energia gerada pelas travagens das composições do Metro da capital espanhola.

A nova “metrolineira” é o primeiro resultado visível para o grande público do projecto Train2Car, iniciado em 2011 e que junta a Metro de Madrid, a Citroën e a Siemens (além de outros parceiros). A primeira estação de serviço situa-se, aliás, nas instalações da Citroën junto à estação do Metro de Sainz de Baranda.

A ideia, agora concretizada, é aproveitar a energia cinética libertada aquando das travagens das composições do Metro de Madrid, transformá-la em energia eléctrica contínua e abastecer com ela as baterias dos veículos eléctricos da capital.

Até Junho, os abastecimentos serão gratuitos. Depois, a ideia é desenvolver o negócio, prevendo-se a instalação de até 150 “metrolineiras”, junto das estações que sirvam populações de mais de 20 mil pessoas.

Actualmente circulam em Madrid mais de 600 veículos eléctricos, cujas baterias podem ser recarregadas através de uma simples tomada eléctrica. Na estação de serviço do Metro, o processo demora entre 20 e 30 minutos.

Também em Espanha, a Adif está a testar a criação de uma rede de “ferrolineiras”, seguindo um modelo tecnológico similar.

Comments are closed.