As primeiras das 18 novas viaturas da Metro do Porto deverão começar a operar em meados do próximo ano. O contrato com a CRRC Tangshan foi hoje formalizado.

As novas composições representarão um aumento de capacidade da Metro do Porto de 62 mil lugares/dia, ou cerca de 20%. Um reforço bem necessário, quando a procura aumentou, só no ano passado, cerca de 14%, muito por culpa do PART.

Por isso, a Metro do Porto aposta na antecipação da entrega das primeiras unidades, do terceiro para o segundo trimestre de 2021. Algo a que o construtor chinês, apresentado como o maior do mundo, se terá disponibilizado. Segundo o contrato, as entregas deverão acontecer ao ritmo de uma viatura por mês.

Certo é que todas as 18 unidades estarão operacionais quando estiverem operacionais a nova Linha Rosa e a extensão da Linha Amarela, que acrescentarão quilómetros, estações e… passageiros ao sistema.

O contrato hoje assinado, na presença do primeiro ministro e do ministro do Ambiente, vale 49,6 milhões de euros (menos 6,5 milhões que o inicialmente previsto) e é integralmente financiado pelo Fundo Ambiental. Inclui o fornecimento das 18 viaturas e a sua manutenção por um período de cinco anos.

Com esta aquisição, a frota da Metro do Porto passará a contar 120 unidades: 72 Bombardier Eurotram, 30 Bombardier Tram-Train e os 18 CRRC.

Comments are closed.