A Metro do Porto já seleccionou os seis candidatos (de um total de 12) para se apresentarem ao concurso para a elaboração dos projectos da Linha Rosa e do prolongamento da Linha Amarela.

Metro do Porto

Entre os escolhidos estão os agrupamentos de empresas/consórcios Fase/Ayesa, Tecnofisil/Typsa/JMENGLOB/Pais Mamede & Malato/Adão da Fonseca, IDOM, LCW/Amberg/Grid, COBA/Viaponte/Gibb e Sener.

De acordo a Metro do Porto, os seis projectistas pré-qualificados pelo júri têm até ao dia 30 para apresentar as respectivas propostas. A empresa espera adjudicar até ao fim de Dezembro os projectos das duas novas linhas, “a construir entre 2019 e 2022” e com um “valor global de referência de 4,7 milhões de euros, divididos em dois lotes”.

As propostas serão avaliadas com base no preço (com um peso específico de 70%) e na valia técnica (30%). Os projectistas poderão candidatar-se a qualquer uma das linhas ou a ambas.

A Linha Rosa será “totalmente subterrânea” e terá quatro novas estações projectadas por Eduardo Souto Moura (o arquitecto responsável pelo desenho da primeira fase do Metro). Numa extensão de 2,5 quilómetros, fará “a ligação entre São Bento, Cordoaria/Hospital de Santo António, Galiza/Centro Maternoinfantil e Casa da Música/Rotunda da Boavista”, refere a Metro do Porto, em comunicado.

Os concorrentes agora pré-qualificados devem fazer “a elaboração de estudo prévio, avaliação de impacto ambiental, obtenção de declaração de impacto ambiental e projecto de execução, estabelecendo um prazo total para execução destas tarefas de 330 dias”, sendo que o “valor máximo” para esta linha “é de 2,6 milhões de euros”.

“O lote respeitante ao prolongamento da Linha Amarela em 3,2 quilómetros e construindo três novas estações entre Santo Ovídio e Vila d’Este implica exatamente o desenvolvimento dos mesmos trabalhos de natureza técnica e ambiental, prevendo porém um prazo mais curto para a sua execução [270 dias]”, descreve a Metro do Porto. “O valor máximo deste lote é de 2,1 milhões de euros”, acrescenta.

A Metro do Porto espera que “o lançamento dos concursos para as empreitadas de construção da Linha Rosa e da extensão da Linha Amarela” aconteça no fim de 2018, “de modo a que as obras arranquem, no Porto e em Vila Nova de Gaia, nos primeiros meses de 2019 e venham a ficar concluídas em 2022”.

“No seu conjunto, as novas linhas vão servir, diariamente, mais de 33 mil pessoas, cobrindo importantes pólos de procura. O investimento global nesta fase de expansão da rede do Metro (projectos incluídos) é na ordem dos 290 milhões de euros”, refere a empresa.

Comments are closed.