O Metrobus do Mondego começará a operar, de forma faseada, em 2021. O concurso para a construção do primeiro troço, orçado em 25 milhões de euros, foi hoje lançado.

Nove anos volvidos sobre a suspensão da circulação dos comboios no ramal da Lousã (Janeiro de 2010), então para a construção do Metro do Mondego, o Governo lançou hoje, em Miranda do Corvo, o concurso para a construção do Metrobus do Mondego.

A obra está orçada em 25 milhões de euros. O prazo para a sua realização é de 15 meses contados a partir da consignação. Em causa está a construção do troço suburbano do sistema, entre o Alto de São João e Serpins, numa distância de 30 quilómetros, aproveitando o canal do ramal da Lousã.

Em vez de comboios, circularão ali, em via única, num canal dedicado, autocarros eléctricos dotados com sistemas de segurança e apoio à condução que os tornam “semi-autónomos”. Serão ao todo 35 para toda a rede de 42 quilómetros.

Para mais tarde fica a segunda fase do Sistema de Mobilidade de Mondego, os troços urbanos, com apenas 12 quilómetros mas que custarão 60 milhões de euros. Serão então que o Metrobus chegará a Coimbra-B e aos Hospitais Universitários de Coimbra. Aí a circulação far-se-á em via dupla.

No total, o sistema compreenderá, pois, 42 quilómetros, duas linhas, 42 estações e servirá cerca de 14 milhões de passageiros/ano.

Feitas as contas, o investimento total ascenderá a 125 milhões de euros.

 

Comments are closed.