O Metropolitano de Lisboa fechou 2018 – o ano do 70.º aniversário – com níveis recorde de oferta e de procura, anunciou hoje a empresa.

No ano passado, o Metropolitano de Lisboa ultrapassou os 169 milhões de passageiros (um máximo absoluto), tendo crescido 4,7%, ou 7,7 milhões de utilizadores. Em dois anos, somou 15 milhões, sublinhou a operadora.

Para isso contribuiu o reforço da oferta, que alcançou o recorde de quase 27 milhões de carruagens/km, explicou em comunicado.

Em consequência da maior procura, o volume de receitas também aumentou, 5,4%, ou 5,8 milhões de euros, para a casa dos 114 milhões de euros.

A empresa, que foi várias vezes criticada pela (falta de) de qualidade do seu serviço, tem vindo a apostar na melhoria da oferta “com o objectivo de captar novos clientes para o transporte público e, deste modo, contribuir para a consolidação de formas de mobilidade urbana mais sustentáveis, com efeitos positivos na descarbonização, na redução do congestionamento e da sinistralidade”, sublinha.

O Metropolitano de Lisboa tem em curso dois importantes projectos, um de expansão da rede (com a construção da polémica linha circular) e outro para expansão da frota de material circulante.

 

Comments are closed.