A Zâmbia aposta no porto de Lobito, em Angola, para escoar a produção mineira da região de Copperbelt. Um consórcio privado deverá investir mil milhões de dólares numa via férrea até à fronteira do país e à ligação com a Linha de Benguela.

A nova linha terá uma extensão de 590 quilómetros e será desenvolvida em duas fases. Numa primeira fase, tratar-se-á de ligar a rede ferroviária existente na Zâmbia com as minas da região de Copperbelt. Depois será tempo para estender a linha até à fronteira angolana e fazer o interface com a Caminhos de Ferro de Benguela.

A ligação ao porto do Lobito permitirá escoar a produção de minério e, no sentido inverso, abastecer a Zâmbia de combustíveis.

O investimento previsto ascende a mil milhões de dólares, dividido em duas partes sensivelmente iguais. A construção, operação e manutenção da nova linha é da responsabilidade de um consórcio constituído pela Northwest Rail Co e pelo grupo Grindrod.

Citado na imprensa internacional, um responsável do grupo sul-africano, que participa na concessionária do porto do Maputo (MPDC), disse que “vemos um grande potencial para a criação de uma porta de entrada/saída da África Central para o Atlântico no porto do Lobito”.

Comments are closed.