Os projectos de navegabilidade do Douro e do estuário do Tejo foram apresentados pela ministra do Mar na Conferência Internacional sobre Navegação Interior, que decorreu nos últimos dois dias em Wroclow, Polónia.

Ana Paula Vitorino defendeu a aposta na navegação interior e sublinhou as semelhanças com a navegabilidade marítima e as sinergias possíveis entre ambas.

Não por acaso, os projectos da Via Navegável do Douro e da Navegabilidade do Estuário do Tejo até Castanheira do Ribatejo integram a Estratégia para o Aumento da Competitividade da rede de Portos Comerciais do Continente – Horizonte 2026 que o Governo está a dinamizar.

Da conferência, organizada conjuntamente pela Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa e pelo Ministério da Economia Marítima e Navegação Interior da República da Polónia saiu uma Declaração Ministerial, que Portugal também assinou, e que aponta, nomeadamente, para “Reforçar o compromisso de sustentabilidade ambiental (Agenda 2030 UN); Dar visibilidade à potencialidade do transporte fluvial; Criação de um quadro regulamentar sólido destinado a aumentar a eficiência do transporte fluvial; Garantir o equilíbrio adequado entre modos de transporte, agilizando os fluxos de carga e promovendo a multimodalidade; Incentivar o desenvolvimento de frota moderna e promover inovação tecnológica; Construir infraestruturas de vias navegáveis seguras e sustentáveis; Promover a atractividade do sector para o mercado e aumentar sua competitividade; Assegurar uma acção coordenada de vários países para apoiar a navegação interior”, de acordo com o comunicado divulgado pelo Ministério do Mar.

Ana Paula Vitorino aproveitou ainda a estadia em Wroclow para vários encontros bilaterais e para promover o Oceans Meeting e a Shipping Week, que este ano se realizarão em Lisboa.

 

 

Comments are closed.