O ministro das Infraestruturas garante que o Governo quer dar “o impulso necessário” para concretizar os investimentos previstos para Sines nesta legislatura.

“Há um trabalho que já começou na legislatura anterior e que vai ser continuado. Queremos, em conjunto com a autarquia e a administração do porto [Sines], dar o impulso necessário para conseguirmos rapidamente ter os investimentos em curso”, disse Pedro Nuno Santos.

“Há um trabalho que já começou na legislatura anterior e que vai ser continuado. Queremos em conjunto com a autarquia e a administração do porto [Sines], dar o impulso necessário para conseguirmos rapidamente ter os investimentos em curso”, disse o governante durante uma visita que efetuou hoje ao porto de Sines, no distrito de Setúbal.

Em declarações aos jornalistas, o governante, que iniciou hoje um ciclo de visitas aos portos comerciais portugueses, reiterou que existem “boas perspetivas para a expansão deste porto que é crítico para o desenvolvimento do país”.

Para o porto de Sines estão previstos alguns dos maiores investimentos do setor portuário para os próximos anos, nomeadamente o novo terminal Vasco da Gama, um investimento de 650 milhões de euros, e a expansão do Terminal XXI, um investimento da PSA Sines, no valor de 660 milhões de euros.

“Estamos a falar de um dos maiores investimentos do nosso país e de dimensão não habitual em Portugal que representa também uma oportunidade de Portugal ser uma plataforma muito importante no quadro global de transporte de mercadorias. Com as condições únicas do porto de Sines, temos obrigação de as aproveitar em benefício do povo”, afirmou.

No Terminal XXI “os trabalhos de expansão estão próximos de começar e agora temos o prazo para a apresentação de candidaturas para o concurso do novo terminal Vasco da Gama já a decorrer”, indicou.

De acordo com o governante, “há neste momento investidores e atores mundiais que estão a olhar com atenção para esta oportunidade de negócio. Há um trabalho de captação e de sedução que está a ser feito e por isso são nove meses para apresentar as candidaturas e vamos estar a trabalhar para conseguir que sejam vários os interessados” no futuro Terminal Vasco da Gama.

Questionado sobre se o aumento da movimentação, que vai passar para os 7 milhões TEUS (unidade equivalente a 20 pés) por ano, pode ser sustentado apenas com ‘transhipment’ ou se terá de ter carga final destinada a Sines, o ministro afirmou que os investidores têm de sentir que o negócio “é viável”.

“Vamos captar investidores interessados que obviamente virão fazer o investimento se sentirem que é viável e sustentável e isso dá-nos alguma garantia de que, tendo nós interessados no investimento, vai trazer obviamente movimento, negócio que é aquilo que interessa a todos”, frisou.

Ao nível das acessibilidades, o governante, destacou “a grande aposta na expansão da ferrovia“, no âmbito do programa Ferrovia 2020, “que está em curso”, sendo “o corredor-sul fundamental no quadro do corredor atlântico” e que “vai servir bastante o porto de Sines”.

“Pouco nos serve o investimento nos portos se não tiverem acessos, desde logo a ferrovia e transporte de mercadorias que vai ser reforçada e servir o porto de Sines”, garantiu.

 

This article has 1 comment

  1. Por culpa exclusiva do 1º Ministro A Costa e da Ministra Ana Paula Vitorino, Portugal perdeu mais 4 anos para com os portos espanhóis pelo que Barcelona, Algeciras e tb Valência “fugiram” para sempre de Sines. que vergonha !