Depois do acordo dos ministros dos Transportes, só falta a ratificação do Parlamento Europeu para a introdução dos novos tacógrafos “inteligentes”… daqui a cerca de cinco anos.

Os ministros dos Transportes da União Europeia, reunidos no Luxemburgo, chegaram a acordo sobre as normas que regularão a introdução dos tacógrafos “inteligentes” nos veículos europeus. A decisão terá ainda de ser ratificada pelo Parlamento de Estrasburgo.

Os novos tacógrafos assumem-se como um poderoso instrumento de fiscalização do cumprimento das normas sobre tempos de condução e repouso, uma vez que registarão, em tempo real, a localização dos veículos com recurso à navegação por satélite.

Ficarão isentos da utilização dos tacógrafos, os motoristas que actuem exclusivamente num raio de 100 quilómetros. O dobro do previsto actualmente.

Os novos equipamentos permitirão a comunicação à distância com os agentes de tráfego e disporão de um interface universal para ligação às aplicações de gestão de frotas dos operadores.

O novo regulamento comunitário fixa igualmente normas mais rígidas para o funcionamento dos instaladores de tacógrafos, além do que prevê a troca de dados entre as autoridades nacionais e impõe a melhor formação dos agentes de controlo.

Os tacógrafos “inteligentes” só serão obrigatórios 40 meses após a aprovação das suas especificações técnicas, o que remete, provavelmente, para 2017 ou mesmo 2018.

 

Os comentários estão encerrados.