Farta dos prejuízos e desagradada com o rumo que o sector está a seguir, a MISC anunciou a sua retirada da actividade do transporte marítimo de contentores.

A MISC Berhard, que controla a maior frota mundial de navios de transporte de gás natural liquefeito, tem uma posição pouco relevante no transporte marítimo de contentores. De acordo com os dados da Alphaliner, ocupa a 29.ª posição no ranking mundial, operando com uma frota de 20 navios (13 próprios e sete fretados), com uma capacidade global de 45 314 TEU.

Ainda assim, nos últimos três exercícios fiscais, a companhia malaia acumulou prejuízos de 789 milhões de dólares só na actividade do transporte marítimo de contentores. Isso, e o facto de as perspectivas para o sector não serem as mais animadoras, levaram o grupo a descartar este negócio.

A MISC concentra as suas actividades de linha nos tráfegos intras-asiáticos e na Oceânia. E mesmo aí se tem notado um desequilíbrio entre a oferta e a procura de capacidade (até por força do efeito de cascata provocado pela entrada de maiores porta-contentores no mercado mundial), com a consequente pressão em baixa nos fretes.

A saída da MISC do mercado de transporte marítimo de contentores deverá acontecer até 30 de Junho do próximo ano. E deverá ainda implicar um prejuízo extraordinário de 400 milhões de dólares no corrente exercício. Mas terá impacte positivo no longo prazo nos resultados grupo.

Comments are closed.