A produção nacional de veículos comerciais voltou a cair em Julho, penalizada pela quebra da PSA Peugeot Citroën que a Mitsubishi não logrou compensar.

Mitsubishi Tramagal

Em Julho, de acordo com os dados da ACAP, os construtores automóveis instalados em Portugal produziram 3 786 veículos comerciais, menos 18,3% que no mês homólogo de 2014. Desses, 3 430 (menos 20,2%) foram comerciais ligeiros e 356 (mais 4,7%) pesados de mercadorias.

Das instalações de Mangualde da PSA saíram 3 008 veículos (menos 23,9%), ao passo que da unidade do Tramagal da Mitsubishi saíram 598 (entre ligeiros e pesados), ou seja, mais 28,1%. Em Ovar, a Toyota Caetano produziu 180 ligeiros (menos 17,1%).

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, a produção nacional de veículos comerciais ascendeu a 25 186 (menos 16,9%), contando os 22 974 ligeiros (menos 19,4%) e os 2 212 pesados (mais 21,7%).

Desde Janeiro, a PSA Peugeot Citroën construiu 21 227 comerciais ligeiros (menos 21%), ao passo que a Mitsubishi produziu 3 412 (mais 37,3%) e a Toyota Caetano 547 (menos 44,1%).

Dos 22 974 ligeiros produzidos até ao final de Julho, 19 661 tiveram como destino os mercados externos; e dos 2 212 pesados 2 065 foram para exportação. Espanha é o principal destino, seguido do Reino Unido, Alemanha e Itália.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.