A mobilidade partilhada – car-sharing, ride-sharing e ride-hailing (Uber ou Cabify) – já é um mercado de mais de 60 mil milhões de dólares (51,9 milhões de euros) em todo o mundo, calcula a McKinsey.

Mobilidade partilhada deve crescer 20% ao ano

A McKinsey estima que a mobilidade partilhada registará um crescimento anual de 20%, à medida que táxis e outros serviços de transporte autónomos ganhem presença.

A China e os Estados Unidos são, de acordo com a consultora, os maiores mercados, avaliados em 24 mil e 23 mil milhões de dólares, respectivamente.

Barry Mills, analista da The Boston Company AM, acredita que a grande aceleração deste mercado ainda está por ocorrer e que o potencial é grande.

Nesta fase, de acordo com o especialista, a tecnologia e os desenvolvimentos que sustentam a mobilidade partilhada estão num estágio relativamente inicial e ainda há poucas empresas do sector cotadas nas bolsas de valores mundiais. “Acreditamos que um progresso significativo será alcançado até 2020 ou 2021 e, a partir desse momento, as pessoas estarão muito mais conscientes da importância deste sector. Nos próximos anos, as pessoas que vivem em cidades com um bom serviço de transporte terão menos tendência a comprar um carro”, explica.

O especialista da The Boston Company AM acredita, ainda, que cidades com sistemas de transporte público pobres poderão encontrar na mobilidade compartilhada o complemento perfeito.

 

 

Os comentários estão encerrados.