O Centro de Promoção de Investimento (CPI) de Moçambique ainda está a analisar a proposta de investimento da Vale Moçambique para escoar o carvão de Moatize.

Em causa está a construção de uma linha férrea, que ligará a vila carbonífera de Moatize a Nacala-a-Velha, através do Malawi, e a criação de um terminal para escoar o carvão por via marítima.

Só a linha férrea representará um investimento de 1,7 mil milhões de dólares, referiu Godinho Alves, director-geral adjunto do Centro de Promoção de Investimento moçambicano, citado pelo “Notícias” do Maputo, num encontro com empresários.

Mesmo sem a “luz verde” de Moçambique, a Vale já está a avançar com a construção da linha no Malawi. A Mota-Engil ganhou a empreitada, no valor de 703 milhões de dólares, e o contrato já foi assinado na presença do ministro dos Transportes do Malawi. O prazo para a execução da obra é de 27 meses.

Comments are closed.