Moçambique vai importar este ano mais 70 carruagens e mais de 300 autocarros para minimizar a falta de oferta do transporte público de passageiros. A R.P. China será o país fornecedor.

Moçambique - CFM

A informação foi adiantada pelo ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique, numa audição parlamentar sobre o Plano Económico e Social, organizada pela Comissão de Agricultura, Economia e Ambiente.

Carlos Mesquita disse que a compra das carruagens ferroviárias permitirá o reforço das composições na Linha do Sena, que liga o porto da Beira, capital da província de Sofala, a Moatize, na província de Tete. “As carruagens vão permitir aumentar a frequência dos comboios e o seu número em cada composição”, disse.

Recorde-se que Portugal e Moçambique têm assinado há já vários anos um memorando de entendimento para a constituição de uma unidade de fabrico e manutenção de material circulante ferroviário. Mas o processo estará parado.

Carlos Mesquita anunciou ainda a importação, também este ano, e também da R.P. Chiina, de mais de 300 autocarros, 80 dos quais chegarão a Moçambique sob a forma de donativo do governo de Pequim.

Comments are closed.